artistasgauchos












Desenvolvido por:
msmidia

Escrita

A Academia Brasileira de Letras e a fábula das uvas podres
Rubem Penz

Repercutiu de modo intenso a recente eleição para a cadeira de número oito da Academia Brasileira de Letras. Muito menos por Ricardo Cavaliere, que ocupará a vaga deixada por Cleonice Berardinelli; muito mais por ser Mauricio de Sousa a sair derrotado na disputa. Para surpresa de ninguém, os critérios envolvendo as escolhas de nosso grupo de Imortais são questionados.

Em defesa dos Acadêmicos, afianço ser assim com a criação de listas, e para sempre será: questionáveis serão todas as inclusões; as exclusões serão também. Aliás, em 126 anos para completar em julho, o número de escritores gigantes em todos os sentidos a jamais vestirem os ilustres quarenta fardões é (ou deveria ser) motivo de muito orgulho aos detentores desta honraria. Quando não uma assombração.

Uma verdade cristalina é a evidente ausência de parâmetros mensuráveis para orientar as escolhas. Por isso – mas não apenas por isso, pois vivemos em um país useiro e vezeiro em alterar regras quando ela desagrada quem esteja no poder –, diversas eleições foram denunciadas mais como favorecimento pessoal do que mérito literário. E a tendência será mantida. E não adianta denunciar, entristecer-se, revoltar-se. Antes de ser uma ode à resignação, este ponto de vista é apenas a constatação de ser a coisa o que é.

Gostei muito da polêmica em volta da cadeira oito. Ela, por si, mostrou-se capaz de iluminar diversos ângulos. Escolho dois. Primeiro: será HQ literatura, ou não? Teríamos problemas em compreender este modo de contar uma história (os quadrinhos) como obras de arte se não houvesse a pretensão acadêmica de Mauricio? Creio que não. O que transparece, neste caso, é persistir a compreensão de que muito mais um modelo de narrativa, ou um suporte específico, ser digno de lugar à mesa.

O segundo ângulo é ser, afinal, Mauricio de Sousa um criador importante a ponto de ser eleito para uma categoria tão seleta. Li muitas manifestações sobre sua assinatura constar nas tirinhas as quais têm desenhistas e roteiristas trabalhando anonimamente em torno dos personagens do Bairro do Limoeiro. Neste sentido, defendem que há muitos anos o criador da Turma da Mônica é muito mais empresário do que autor.

Pinçadas as duas linhas de raciocínio, entre argumentos racionais e apaixonados, fica o retrogosto da dificuldade brasileira em lidar com o sucesso alheio, mesmo quando nosso. Dói em muitos constatar ser Mauricio de Sousa, junto com Pelé, Tom Jobim e Niemeyer (elenco três, chegaria fácil a trinta), um dos nomes mais relevantes destes tempos. Junta-se a uma série de personalidades que só não serão maiores na História por nascerem nestes tristes trópicos (Landell de Moura cabe aqui).

Todavia, escolho fechar minha janela lamentando o surgimento de opiniões a julgar nossa Academia pútrida e, com isso, considerar até positiva a ausência de tantos merecedores. Não é justo com o nascimento de uma instituição de elite, muito menos com a maior parte dos ocupantes no decorrer da história. Fica parecendo a fábula da raposa e das uvas verdes, com adaptações. Que Mauricios e muitos mais sejam preteridos para alimentar o bom debate, ou mesmo para oferecer alguma fofoca capaz de dar humanidade aos eleitos.


05/05/2023

Compartilhe

 

Comentários:

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "132603" no campo ao lado.
 
  

 

  Rubem Penz

Publicitário, escritor e músico. Orientador da oficina literária Santa Sede, crônicas de botequim - projeto iniciado em 2010 com, em 2018, 14 publicações e dois prêmios (Açorianos de Literatura como Destaque Literário e Livro do Ano AGES com A persistência do amor, Ed. Buqui). Entre outros veículos, foi colunista do Metro Jornal entre 2012 e 2018. Compõe o Conselho Editorial do IEL e o corpo docente da Metamorfose, StudioClio e Casamundi Cultura. Entre os livros publicados estão O Y da questão (Literalis), Inter Pares (Literalis), Enquanto Tempo (BesouroBox) e Greve de Sexo (Buqui).

rubempenz@gmail.com
www.rubempenz.net
www.facebook.com/rubem.penz


Colunas de Rubem Penz:


Os comentários são publicados no portal da forma como foram enviados em respeito
ao usuário, não responsabilizando-se o AG ou o autor pelo teor dos comentários
nem pela sua correção linguística.


Copyright © msmidia.com






Confira nosso canal no


Vídeos em destaque


Cursos de Escrita

Cursos de Escrita

Curso Online de
Formação de Escritores

Curso inédito e exclusivo para todo o Brasil, com aulas online semanais AO VIVO

Mais informações


Cursos de Escrita

Oficinas de escrita online

Os cursos online da Metamorfose Cursos aliam a flexibilidade de um curso online, que você faz no seu tempo, onde e quando puder, com a presença ativa do professor.

Mais informações

 


Livros em destaque

O Guardião da
Chave Dourada

Airton Ortiz

Fundamentos à prática de revisão de textos

A Fantástica Jornada do Escritor no Brasil

 

compre nossos livros na