artistasgauchos












Desenvolvido por:
msmidia

Literatura

Vou botar meu carro-bomba na avenida
Lucio Saretta

Leio no jornal que Cesare Battisti estará em Caxias do Sul para autografar seus livros. Confesso que fiquei estarrecido com o fato. Afinal, independentemente dos méritos literários de Battisti, é óbvio que o italiano deve sua fama a crimes cometidos no passado, quando participou de um grupo terrorista envolvido em assaltos e assassinatos diversos. Tentarei não entrar no terreno pantanoso que envolve ideologias políticas. Alguém poderá perguntar qual o problema do homem narrar a sua história, a sua versão dos fatos? Até porque, (surpresa) Battisti nega as acusações. Sem problemas. Inclusive, um dos livros marcantes da minha vida foi “Os Carbonários” de Alfredo Sirkis, um relato humano e jornalístico (sobre a luta armada contra a última ditadura no Brasil) de teor maravilhoso e que mexeu com as minhas estruturas. O que me deixou triste foi constatar que, enquanto a grande maioria dos escritores de “verdade”, que luta de forma inglória e quixotesca para obter um pingo de reconhecimento junto ao público, algumas figuras gozam de uma exposição midiática tremenda, graças a atividades que nada tem a ver com a literatura em si.

Cito o exemplo de Chico Buarque. Não restam dúvidas quanto ao talento musical do autor de “A Banda” e “O Meu Amor”, entre tantas outras belas canções, assim como a sua importância dentro da cena artística em nosso país. Mesmo assim, gostaria de saber se os seus livros teriam recebido a quantidade considerável de láureas e elogios caso Chico fosse “apenas” um escritor. Atenção! Ninguém quer aqui impedir alguém de escrever apenas pelo fato de ser famoso em outro ramo. Chico não tem culpa nenhuma nisso, pelo contrário, tomara que as pessoas leiam o que ele escreveu e fiquem felizes. Até mesmo porque todo letrista é um pouco poeta, são coisas que de certa forma se entrelaçam.

Entretanto, Cesare Battisti é um pouco demais para mim. Talvez eu devesse deixar isso pra lá, me preocupar com coisas mais importantes e parar de questionar a validade ou a fraude que repousa na figura do simpático “ativista” peninsular enquanto escritor. Não seria mais inteligente tirar alguma lição disso tudo? Quem sabe eu deva, a partir de agora, botar meu carro-bomba na rua, explodir uma penca de bancos, amolar a minha faca e mutilar algumas pessoas de forma sanguinolenta e cruel.

É provável que no lançamento do meu próximo livro a sessão de autógrafos seja das mais concorridas.

24/07/2012

Compartilhe

 

Comentários:

Envie seu comentário

Preencha os campos abaixo.

Nome :
E-mail :
Cidade/UF:
Mensagem:
Verificação: Repita os caracteres "391708" no campo ao lado.
 
  

 

  Resenhas

As resenhas pubicadas no portal Artistas Gaúchos são de inteira responsabilidade dos articulistas. Se você deseja enviar um texto, entre em contato com o editor do portal. Não é necessário estar cadastrado no portal para enviar resenhas e a veiculação ou não é uma escolha editorial.

editor@artistasgauchos.com.br


Colunas de Resenhas:


Os comentários são publicados no portal da forma como foram enviados em respeito
ao usuário, não responsabilizando-se o AG ou o autor pelo teor dos comentários
nem pela sua correção linguística.


Copyright © msmidia.com







Cursos em Porto Alegre

Cursos de Escrita

Cursos para escritores

Confira cursos e oficinas exclusivos feitos especialmente para escritores ou aspirantes a escritores.

Mais informações


Cursos de Escrita

Oficinas literárias

Oficinas de criação literária e escrita criativa em Porto Alegre.

Mais informações

 


Livros em destaque

O Guardião da
Chave Dourada

Airton Ortiz

Fundamentos à prática de revisão de textos

A Fantástica Jornada do Escritor no Brasil

 

compre nossos livros na